Capa | Perfil

Orgão de divulgação do Corpo Clínico do Hospital São Lucas

Ano II - nº 23 - Outubro-Novembro/2001

Capa

Certificado de Acreditação Hospitalar

Com muito orgulho o Hospital e Maternidade São Lucas de Ribeirão Preto se tornou-se no dia 31/10/01 o 7º Hospital do Brasil, 3º Hospital do Estado de São Paulo e o 1º HOSPITAL DO INTERIOR EM TODO O BRASIL a ser ACREDITADO pelo Manual Brasileiro de Acreditação Hospitalar da ONA (Organização Nacional de Acreditação) que é a entidade determinada pelo Ministério da Saúde para desenvolver o Programa Nacional de Acreditação das Instituições de Saúde.

Durante os últimos dois anos fizemos mudanças administrativas e organizacionais. Adequamos a planta física e funcional do Hospital, escrevemos protocolos e capacitamos médicos e funcionários. O mais importante foi o envolvimento de todos para cumprir as exigências técnicas e de segurança aos pacientes que procuram pelo nosso atendimento. O CORPO CLÍNICO foi outro dos pilares que nos levaram a conseguir este Certificado.

Fomos avaliados durante os dias 29, 30 e 31 de outubro pela Fundação Vanzolini que é ligada a USP de São Paulo, tendo como Avaliadores o Dr. Antonio Quinto Neto, a Enfermeira Lídia Demeneghi, a Administradora Hospitalar Cecília Pereira e a Enfermeira Elisete Aguiar como trainee. Todo processo teve o acompanhamento, como observador, do Dr. Fábio Gastal, superintendente da ONA.

Recebermos o Certificado de Hospital Acreditado é uma responsabilidade para com os Médicos do Corpo Clínico e para com a comunidade de Ribeirão Preto e região. A partir de agora passamos a ser uma referência para todos que desejam uma Assistência Médica de qualidade. O Certificado de Acreditação reafirma o nosso compromisso em atender de forma mais humana e segura nossos pacientes, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população brasileira.

Dr. Pedro A. Palocci
Dir. Presidente

Café de Manhã
Para comemorar o Dia do Médico, o São Lucas realizou um delicioso café da manhã, no dia 18 de outubro, das 7 às 10 horas, que contou com a participação de mais de 100 médicos que compõem o corpo clínico. Durante o evento foram sorteadas 03 passagens para Maceió, com direito a acompanhante, sendo duas entre todos os médicos do corpo clínico e uma entre os presentes. Os felizardos foram a Dra. Anita Falcão, Dr. José Carlos Zenha e Dr. Ramiro Alves.

Premio Produtividade

O Hospital Maternidade e Instituto do Coração São Lucas premiou os parceiros que usaram os serviços hospitalares com maior freqüência durante o período Janeiro a setembro/2001. A avaliação foi baseada na produção (internações, consultas e procedimentos cirúrgicos). Foram beneficiados com o programa quatro cirurgiões, Dr. Roberto Marziale, Dr. Mario E. P. M. de Barros, Dr. Carlos Alberto Massuda e Dr. Juvelcio Fernandes Peixoto; dois pediatras, Dr. Raul O. M. S. Almeida e Dra. Rosilene Coraca dos Santos; dois clínicos, Dr. Carlos César Toloti e Dr. João Espir Filho; e dois ginecologistas obstetras, Dr. Ângelo do Carmo S. Matthes e Dra. Eliane de Fátima Freitas. Os dez contemplados com os acompanhantes, irão viajar de 22 a 25 de novembro, em um grupo do Hospital São Lucas para Maceió.

Centro do Voluntariado
O Centro do Voluntariado do Hospital São Lucas está completando 1 ano no mês de novembro. Neste período tivemos a oportunidade de desenvolver alguns projetos com sucesso e resultados que nos tem motivado a trabalhar ainda mais por ações solidárias. Inauguramos o Centro com um evento no Stream Palace onde firmamos a parceria com a Creche Sonho Real, quando nos propusemos a construir um ambulatório médico no Bairro do Tanquinho.

No início de 2001, realizamos a Caminhada da Solidariedade, colocando mais de 1000 pessoas rua e entregando para Creche Sonho Real R$ 5.000,00 arrecadados.

As metas do Centro de construir um projeto solidário na comunidade e promover os funcionários do hospital, fez com que realizássemos uma pesquisa entre os funcionários, cuja conclusão a partir do levantamento feito nos levou a iniciar a formação da Biblioteca e a promoção de ações entre os familiares, tais como vagas em escolas, cadeira de rodas, enxoval, etc. Fizemos a Campanha Doe Alguma Coisa, onde toda cidade participou enviando donativos (roupas, calçados, livros, brinquedos, utensílios domésticos). Esta Campanha resultou no Bazar da Solidariedade com a renda revertida para Creche.

Contamos com a parceria dos médicos que participaram da Jornada Cardiológica e revertemos os valores das inscrições também para creche.

Estamos muito felizes com o Projeto Banca de Revista do Hospital e das máquinas de café e sucos, além de oferecer um serviço aos usuários do São Lucas, estamos repassando o lucro para a creche.

Neste momento, lançamos mais uma Campanha Doe Alguma Coisa para promovermos um Bazar no final do ano.

E para que o aniversário do Centro seja comemorado de forma criativa, vamos realizar dia 19 de novembro o espetáculo “Mulheres”. Com a palestra da Profa. Eunice Bezerra da Unicamp sobre o tema: O Feminino na Canções de Chico Buarque”, junto com o show musical destas canções. Em tempo a construção do ambulatório está quase pronta. Em um abraço fraterno agradecemos a colaboração, as parcerias e o trabalho de cada médico, funcionário, esposas de médicos e demais cidadãos de Ribeirão Preto.

Heliana da Silva Palocci
Presidente do Centro do Voluntariado

Doutor, cadastre seu e-mail com Simone – 607 0001 ou pela internet através do e-mail: hslsecr@keynet.com.br.

A arte ganha um espaço mais saudável

O Hospital e Maternidade São Lucas inaugurou dia 18 de outubro, em comemoração ao Dia do Médico e com um delicioso café da manhã, seu Espaço Cultural, destinado a receber artistas de Ribeirão Preto e região. A cada mês, um artista será colhido no Espaço Cultural São Lucas, expondo seus trabalhos, proporcionando mais cultura a nossa população. O médico Dr. Pedro Palocci, presidente do Hospital, ressalta que o novo espaço é mais uma opção de cultura para nossa cidade e que o São Lucas abre suas portas valorizando os artistas da cidade e região.

O Espaço Cultural São Lucas abre suas portas em grande estilo, com Odilla Mestriner e a “Série Andantes”. A primeira característica impressionante na personalidade de Odilla Mestriner é a sua concentração. Ela é inteiramente dedicada a um só tema e assunto por vez. E, nele, ela é capaz de permanecer por um tempo subjetivamente único, global, inteiro. Nem um único elemento exterior a faz desviar-se. A segunda característica impressionante é a lógica interna que serve de elo entre as suas várias fases e se constituem no conjunto de seu trabalho. Há uma condução serena e determinada, um percurso de conhecimento, o que leva o seu trabalho a ser um todo continuado e persistente de sua pesquisa interna. A terceira característica impressionante é a permanência de um foco de interesses, a fidelidade absoluta a uma só questão. Felizmente, no seu caso, este interesse fixa-se na questão fundamental do ser humano e de sua aventura pelo planeta Terra: o próprio ser humano. Este interesse no ser humano o localiza em si mesmo, como um ser em si, uma concentração de força, energia e consciência, afirma Jacob Klintowitz. A exposição de Odilla Mestriner pode ser visitada até o dia 30 de novembro, das 8:00h às 21:00 horas no Espaço Cultural São Lucas, na recepção do hospital, Rua Bernardino de Campos, 1426.

HISTERECTOMIA VAGINAL EM PACIENTES SEM PROLAPSO UTERINO

Este procedimento cirúrgico já está sendo realizado no Hospital São Lucas e o serviço é aberto a todos os colegas que queiram desenvolver esta técnica.

Segundo o Dr. Mário Rovery, um dos médicos que realiza este procedimento, a comprovada capacidade de operar por via vaginal é uma das características que distingue a cirurgia ginecológica de outras especialidades cirúrgicas. Atualmente observa-se uma redução perda progressiva no número de cirurgias vaginais, principalmente com relação à histerectomia vaginal. Certamente isto não se deve à falta de indicações cirúrgicas. Nos Estados Unidos, por exemplo, são realizadas aproximadamente 300.000 histerectomias por ano, sendo apenas um terço delas por via vaginal. A principal indicação para a histerectomia é o aumento sintomático do volume uterino, geralmente consequência de miomatose uterina. No nosso meio, a grande maioria dos ginecologistas aborda estes casos por via abdominal, apesar das vantagens comprovadas da via vaginal.
A histerectomia vaginal é utilizada quase que exclusivamente para o tratamento do prolapso uterino, e são várias as razões para isto: 1) Menor ênfase em cirurgia vaginal durante a residência médica; 2) Ausência de critérios precisos na seleção de pacientes para cada via de abordagem; 3) Pouca informação das pacientes sobre as diferentes vias de acesso disponíveis; 4) Menor paridade das pacientes e alta incidência de cesárea, o que cria falsa idéia de que a operação se torna muito difícil ou mesmo impossível de ser realizada.

A experiência adquirida com o ensino da histerectomia vaginal em pacientes se prolapso uterino nos tem convencido de que a maioria dos cirurgiões ginecológicos poderia expandir suas habilidades com o emprego de técnicas de morcelamento transvaginal nos casos de úteros miomatosos , mobilidade uterina reduzida ou exposição cirúrgica limitada. Com a renovação do interesse pela via vaginal, atribuível em parte pelas necessidades econômicas de internação mais curta e retorno mais rápido ao trabalho, o cirurgião moderno se depara com a necessidade de familiarização com métodos cirúrgicos minimamente invasivos de extirpação de úteros grandes por via vaginal.

Vantagens da Histerectomia Vaginal

Menor Tempo de Cirurgia, Pequena Abertura Peritoneal, Pós-Operatório Menos Doloroso, Menor Tempo de Internação e Custo Hospitalar, Retorno Mais Rápido às Atividades Normais, Menor Custo Social, Ausência de Cicatriz Abdominal, Maior Facilidade Para Correção de Distopias Genitais Associadas e Menor Incidência de Complicações e Taxa de Mortalidade. Apesar da histerectomia vaginal proporcionar às pacientes um pós-operatório menos desconfortável que a histerectomia abdominal, gostaríamos de ressaltar que estas duas vias não devem ser consideradas competitivas, já que cada uma possui indicações precisas, sendo que a preferência deve ser dada sempre para a via de acesso mais adequada às condições anatômicas e clínicas da paciente, bem como à experiência da equipe cirúrgica.

Normalmente, as pacientes que já deram à luz pelas vias naturais satisfazem a maioria das condições anatômicas para a realização da histerectomia vaginal. Todavia, a multiparidade não é garantia de sucesso da cirurgia, assim como a nuliparidade não constitui uma contra-indicação para a mesma. A maioria dos livros de ginecologia cita a história de doença inflamatória pélvica, endometriose, apendicite perfurada, cirurgia pélvica prévia (especialmente cesárea) ou outras causas de aderência pélvicas ou abdominais como contra-indicações para a histerectomia vaginal. A histerectomia vaginal não deve ser contra-indicada com base apenas na história da paciente. Em caso de dúvida a respeito da viabilidade da abordagem por via vaginal, pode-se realizar uma laparoscópia diagnóstica prévia.

Perfil

Dr. Carlos Gama Sauaia
Hemoterapeuta e Vice-diretor Clínico

Há quanto tempo exerce a medicina e o que ela lhe proporcionou neste período?
Me formei em 1985 na USP-RP. Escolhi a Hematologia como especialidade influenciado pelo departamento que era muito forte na época e também pela possibilidade de ter um contato simultâneo com o paciente, o laboratório e o banco de sangue. Nestes 16 anos de atividade profissional a medicina me proporcionou exercer a atividade médica e a administrativa sempre em sintonia com as outras especialidades.

Como conseguiu conciliar a vida pessoal com a profissional?

Sem sombra de dúvida o reconhecimento profissional que tenho hoje é graças ao meu casamento com a Dr. Claudia Cicconeli Sauaia. Nestes 7 anos de casada ela soube me dar suporte tanto na criação de nossos filhos Carla e Eduardo como me incentivando constantemente na superação de obstáculos profissionais. Ter a segurança de uma família harmoniosa é extremamente importante no meu dia a dia.

Que atividade prefere nas horas de lazer?
Sempre que possível passo os finais de semana com minha família e meus amigos no Rancho Flor da Mata, em Delfinópolis onde pratico caminhada, ando de jet-ski e reponho as energias contemplando a natureza, num lugar paradisíaco

Quais as personalidades que admira?
Em primeiro lugar meus pais que são extremamente fortes e práticos. Eles deram a mim e aos meus irmãos toda a base moral, os valores éticos e o raciocínio pragmático nas horas difíceis. Outra pessoa que admiro é o Dr. Pedro Palocci pela capacidade de trabalho e liderança, aprendi muito observando-o. É mais fácil correr o risco da escolha do que adiar uma decisão. De maneira geral admiro muito as pessoas que têm capacidade para enfrentar desafios.

Que sonhos ainda pretende realizar?
Consolidar as empresas que dirijo e expandir o Banco de Sangue, ampliando a atuação dos profissionais que comigo trabalham para me substituírem parcialmente e eu poder me dedicar mais a minha família e ao lazer.

Qual é o maior desafio da vida? E a recompensa?
Ser feliz, não deixar os obstáculos endurecerem nossos corações. Levar a vida com harmonia. A felicidade tende a ser encontrada nas soluções mais simples, quanto mais a gente complica mais nos distanciamos dela. A recompensa é desfrutar de todos os benefícios que a estabilidade pessoal e profissional nos proporciona.

Como é o seu relacionamento com o São Lucas?
Vim para o São Lucas em 1990 como assistente do Dr. Coutinho, numa época em que estava começando uma grande revolução na hemoterapia mundial. De lá pra cá participei da implantação de novos serviços no Banco de Sangue. Graças ao trabalho de uma equipe sincronizada, hoje o Banco de Sangue do São Lucas é reconhecido pela Sociedade Brasileira de Hemoterapia como um dos três Centros de Referencia em Imunohematologia do país. Tenho muito orgulho de fazer parte da história do São Lucas e espero colaborar ainda mais para o crescimento deste complexo hospitalar.

Frase: Sei que não é fácil mas devemos sempre buscar formas de conciliar as atividades familiares, pessoais e profissionais, o equilíbrio entre elas é a receita da felicidade.

Perfil

Dr. Antônio Luiz Chaguri
Ginecologista Obstetra – Dir. Clínico


Descendente de italianos e árabes, esse ribeirão-pretano formou-se em 1975 pela Universidade de Minas Gerais, com residência médica no HC-USP-RP, e escolheu a especialidade por estar diretamente ligada à mulher e a concepção da vida. Nesses 26 anos de profissão conquistou o reconhecimento da classe médica e o respeito e amizade das pacientes, o que considera muito gratificante para o desenvolvimento de seu trabalho.

Casado com a Dra. Márcia Chaguri e pai de duas filhas, Marina e Luciana, ficou muito emocionado com a chegada da neta Elisa, que está dando muitas alegrias e entrosando cada vez mais a família. Para ele ser médico, apesar de todo o contexto brasileiro e a crise mundial ainda é a melhor profissão do mundo. Se o médico for qualificado, com certeza vai conquistar seu espaço neste mercado competitivo e seletivo, ressalta ele.

Tendo uma grande admiração por Lucy Musa Julião, lembra que a sua professora do antigo Otoniel Mota tem todos os atributos de um verdadeiro professor, qualificação, motivação, domínio da metodologia de ensino e sintonia com os alunos. Áureo Cicconelli e Ítalo Barufi, também são pessoas que ele admira pela referencia ética, moral, qualificação profissional e postura perante os pacientes e os colegas. Eles reúnem todas as qualidades que deveriam ter um bom médico, destaca Dr. Chaguri. Nas horas de lazer gosta de freqüentar a academia e assistir filmes de vídeo. Em sua opinião o maior desafio da vida é passar ileso pela desonestidade, corrupção, inveja, e superar todas as situações negativas que acontecem no decorrer da vida. Já a recompensa é ter laços afetivos duradouros, bons amigos e captar os fluidos positivos do dia a dia. Seu maior sonho é ver as filhas encaminhadas na vida pessoal e profissional, sempre baseadas na formação ética, moral e religiosa que ele e a Márcia acreditam terem solidificado nelas. Membro da Comissão de Defesa Profissional da SOGESP e Coordenador da Comissão de Informação para Leigos da FEBRASGO, acredita que o bom médico hoje é aquele que se recicla constantemente e tem a capacidade de encaminhar o paciente quando não domina as técnicas que o mesmo precisa. O importante é ter humildade e bom senso. Sua historia com o São Lucas já vem de algum tempo, outrora foi conselheiro do Hospital. Eleito para diretoria clínica recentemente, afirma que o Hospital tem uma excelente localização, oferece condições adequadas para procedimentos do simples ao complexo, além de contar com um corpo clínico altamente qualificado. Com uma forte atuação no voluntariado há muitos anos, acredita que todas as empresas têm a obrigação de investir no social. E que pela própria formação a classe médica seja do São Lucas seja da Unimed, está sempre engajada e motivada no voluntariado.

Neste número estamos distribuindo um encarte que tem como objetivo informar aos senhores médicos as características dos microrganismos isolados no Hospital e Maternidade São Lucas, no período de 5/00 à 4/01, bem como orientar e atualizar medidas de abordagem na prevenção e tratamento dos processos infecciosos.

Por favor utilize – o para sua orientação frente a seu paciente portador de processo infeccioso.

 

 

 
 
© 2004, Hospital e Maternidade São Lucas          Todos os direitos reservados          Desenvolvimento