Capa   Editorial    Perfil

Orgão de divulgação do Corpo Clínico do Hospital São Lucas

Ano III - nº 28 - Janeiro-Fevereiro/2003

Capa

Foto Legenda

Dr. Luiz Carlos Costa Pereira (Diretor Adjunto), Dr. Elpídio Mieldazis (Diretor Administrativo), Dr. Morris Lifschitz (Superintendente ANAHP), Dr. Pedro Palocci (Diretor Presidente HMSL), Dr. Francisco Balestrim (Vice-Presidente ANAHP) e Carmem Rota (Diretora de Enfermagem) durante entrega oficial do Certificado de Filiação do São Lucas na ANAHP (Associação Nacional dos Hospitais Privados).

Editorial

O Que Esperar de 2003 ?
Muito se tem escrito, lido e falado sobre o ano de 2003 no Brasil e no mundo e aqui não caberia também mais uma analise sobre tais hipóteses ou comentários sobre os fatos e acontecimentos das ultimas semanas ou meses. Nos limitamos, na medida de nossas esperanças, a torcer para que as nossos novos governantes consigam implementar as mudanças necessárias para que o Brasil não perca mais uma das poucas chances que tem de se engajar com firmeza num mundo globalizado trazendo para a nossa sociedade uma justiça de oportunidades que possibilite o desenvolvimento máximo do nosso potencial de vida oferecendo oportunidades de sobrevivência diqna para todas os brasileiros. Como colaboração que podemos e devemos dar nos propomos a fazer todos os esforços pessoais e institucionais para mantermos e ampliarmos a nossa atividade produtiva, gerando mais e melhores serviços a população, provendo de trabalho um grande número de profissionais de nossa comunidade.
Não sabemos por quantas dificuldades teremos que passar, se vamos ter mais uma daquelas guerras que em nada nos enobrece enquanto seres humanos, quanto de nossas fragilidades enquanto nação em desenvolvimentos vão ser testadas pelo "mercado", quanto custo social nos trarão os "especuladores" financeiros de plantão, como os nossos políticos menos comprometidos com os anseios da população resistirão as mudanças que a sociedade necessita e exige, mas temos que ter renovada em cada uma destas tormentas a nossa esperança de um país mais justo e fraterno.
Dr. Pedro A. Palocci
Diretor Presidente

Reforma e Ampliação do 24 Horas
O Hospital e Maternidade São Lucas está reformando a ampliando as instalações do Atendimento 24 horas, visando proporcionar mais conforto e segurança aos aproximadamente 4 mil pacientes que se beneficiam mensalmente do serviço. A reforma, que está sendo feita por etapas, prevê uma entrada de emergência, separada para os pacientes em estado crítico, a construção de dois novos banheiros, a ampliação da recepção e as novas salas de observação masculina, feminina e infantil.
A obra de concepção moderna com formas arredondadas e visual mais leve, acompanhando o padrão do hospital, proporcionará um ambiente mais descontraído e um maior número de salas para os clientes. Além de contar com um excelente corpo clínico, o São Lucas 24 Horas tem uma estrutura de sete consultórios, sala de urgência, consultório ortopédico, unidade de inalação e três alas de observação.
O investimento na reforma e ampliação, está orçado em R$ 100 mil reais, com o término da obra previsto para o mês de abril.
Pedro Palocci, Presidente do São Lucas, afirma que as ampliações e reformas bem como a reestruturação física para o atendimento ambulatorial e de emergência, têm como objetivo a melhoria da qualidade nos serviços de saúde, proporcionando aos pacientes muito mais segurança e conforto no atendimento.

Reunião do Corpo Clínico
No próximo dia 11 de fevereiro às 19:30 horas, será realizada no auditório a reunião do corpo clínico e serão abordados os seguintes assuntos:
· Preenchimento do prontuário médico
· Reforma do Ambulatório 24 Horas
· Pesquisa do Corpo Clínico
· Implantação do Prontuário Eletrônico
· Autorização de Guias

Visita de dirigentes de grandes hospitais de São Paulo
Dirigentes de vários hospitais integrantes da ANAHP - Associação Nacional dos Hospitais Privados estiveram no São Lucas, dia 22 de janeiro, reunidos para produzirem uma pauta com propostas de ações e discussões inerentes aos hospitais privados. Na oportunidade, os visitantes conheceram as instalações do hospital. Participaram da reunião a Dra. May G. Cividanes - Presidente do Hospital Nove de Julho, Mário Shihdi - Diretor Financeiro do Hospital Nove de Julho, Paulo Yokota - Hospital Santa Cruz, Dr. José Henrique Germam Ferreira - Superintendente Hospital Albert Einstein, André Staffa Filho - Diretor Financeiro Hospital e Maternidade São Luiz, Adriano Londres - do Sind. Dos Hospital do Rio de Janeiro, Dr. Pedro A. Palocci - Presidente do Hospital e Maternidade São Lucas de Ribeirão Preto, Dr. Luiz Carlos Costa Pereira, Dr. Roberto Marziale, Dr. Brasil Mellis e senhor ELpídio Mieldazis

Tabela CCIH
Neste número estamos distribuindo um encarte que tem como objetivo informar aos senhores médicos as características dos microrganismos isolados no Hospital e Maternidade São Lucas, no período de maio de 2001 a abril de 2002, bem como orientar e atualizar medidas de abordagem na prevenção e tratamento dos processos infecciosos. Por favor utilize - o para sua orientação frente a seu paciente portador de processo infeccioso.
CCIH

Certificação ISO 9002
O Banco de Sangue do Hospital e Maternidade São Lucas recebeu a Certificação ISO 9002 (International Organization For Standardization), através da Fundação Carlos Alberto Vanzolini, e é o único Banco de Sangue do País a possuir o ISO 9002, o Certificado Referência do Programa de Avaliação Referencial em Imunohematologia expedida pela Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Certificado de Acreditação/ONA Nível 3 (nível máximo para Banco de Sangue). A ISO 9002 é a certificação para o Sistema de Qualidade para a Instituições. A conquista do Certificado significa que o Banco de Sangue garante a padronização de seus processos, a qualificação de seus funcionários e fornecedores de insumos bem como a qualidade de materiais e equipamentos, e a realização de controles de qualidades internos e externos em suas atividades. Os três Certificados comprovam a qualidade e o impecável desempenho do Banco de Sangue do Hospital e Maternidade São Lucas em seus processos. como participante do Programa de Controle de Qualidade Externo em Sorologia para Bancos de Sangue. Como parceiros o Hospital e Maternidade São Lucas divide o orgulho e a satisfação por essas conquistas do Banco de Sangue.

Festa Final de Ano na Paparazzi
A São Lucas Participações, a Associação Médica e o Hospital e Maternidade São Lucas promoveram em dezembro a tradicional festa de confraternização do corpo clínico, na Boate Paparazzi. O evento reuniu mais de 300 pessoas num jantar dançante, que coroou as conquistas de 2002.

Serviço de Quimioterapia Ambulatorial
O Serviço de Quimioterapia do Hospital e Maternidade São Lucas foi inaugurado em maio de 2002 e conta com equipe de enfermagem especializada em oncologia. Funciona de 2ª à 6ª feira das 7 às 18:30 horas, com agendamento prévio feito no próprio setor com a enfermeira Adriana, que é encarregada de fazer os contatos e orientações necessárias.
O Serviço destaca-se pelo atendimento personalizado, com orientações individuais tanto aos pacientes quanto à familiares além de contar com uma infra-estrutura apropriada para prestar os cuidados com o máximo de segurança, conforto e humanização.
Os contatos poderão ser feitos através do telefone 0(xx)16 607-0192 com enfermeira Adriana.

5º QualiHosp
Pelo 4º ano consecutivo o Hospital e Maternidade São Lucas participou do 5º QualiHosp, realizado no mês de novembro em São Paulo. Durante o Congresso foram abordados os avanço da qualidade prestada pelos hospitais brasileiros e apresentados trabalhos que os hospitais vem desenvolvendo para melhoria do atendimento à seus clientes. Neste ano o São Lucas teve uma participação muito importante com o Dr. Pedro Palocci, como palestrante convidado abordando o assunto Qualidade do SAME. Também foram destaques do HMSL a apresentação de 5 pôsteres abordando os seguintes temas: Diretrizes: Metas e medidas para obtenção da qualidade dos prontuários, Evolução das auditorias internas do programa 5S no Hospital e Maternidade São Lucas de Ribeirão Preto - SP, Qualidade através do monitoramento da sensibilidade bacteriana em procedimentos cirúrgicos, Auditoria Interna: A Viga mestra no processo de certificação/acreditação e Central de Materiais Consignados: Melhoria no controle. Vale ressaltar que o pôster Qualidade através do monitoramento da sensibilidade bacteriana em procedimentos cirúrgicos, obteve Menção Honrosa no 5º QualiHosp.

Serviço de Litotripsia e Urodinâmica
O Hospital e Maternidade São Lucas está entregando ao corpo clínico o Serviço de Litotripsia e Urodinâmica, idealizado pelos médicos: Dr. Percival Martineli, Mário C. Beduschi, Rui Yamasaki, Nilton Raghianti, Israel Caseiro, Luiz Gonzaga Máfia, Fernando Galante e Ricardo Beduschi. O Serviço conta com uma equipe médica, equipamentos especializados e disponibiliza tecnologia de ponta, no tratamento cirúrgico da maioria das patologias urológicas.
Estrutura: Uma recepção, uma sala de cirurgia e Litotripsia, uma sala de Urodinâmica e recuperação anestésica com três leitos. O serviço conta com tecnologia de ponta que inclui uma máquina Holmium Yag Laser ( Potência 100 Wats) para fragmentação de cálculos, o mais moderno existente e o terceiro no Brasil para fragmentação de cálculos em qualquer localização do aparelho Urinário. Por trabalhar com fibra fina e flexível é preferencialmente indicado para os cálculos renais ou do 1/3 superior do ureter. O aparelho é também indicado para tratamento de estenoses de ureter e uretra. Usando tecnologia minimamente invasiva com excelentes resultados é indicado ainda para prostatectomias em doenças benignas, em próstatas muito volumosas as quais não podemos indicar a RTU. Com uma indicação vasta em outras especialidades como ortopedia (artroscopia com menor trauma e mais rapidez), neurocirurgia (hérnia de disco) e aplicações na área de otorrino e GO. O tratamento é sempre ambulatorial.
Arco Cirúrgico de última geração da marca GE dará suporte a cirurgias a laser e aos tratamentos de Litotripsia extra-corpórea. LECO - aparelho de litotripsia extra-corpórea para fragmentação de cálculos renais, através da geração de ondas Eletromagnéticas, que proporciona maior eficácia no procedimento não invasivo e menor dor ao paciente. Outra vantagem do equipamento é o uso em algumas patologias ortopédicas como bursite, tendinite plantar, esporão de calcâneo e pseudoartrose. Todos os procedimentos são realizados sem anestesia ou eventualmente com leve sedação. O procedimento é realizado através da utilização de ondas de choque para a fragmentação de cálculos renais, evitando as cirurgias invasivas e dispensando a hospitalização do paciente e o desperdício de recursos.
Urodinâmica - equipamento completo que permite ao Urologista e ao Ginecologista, a avaliação dos distúrbios miccionais. Muito usado no diagnóstico das incontinências urinárias, permite ao profissional subsídios para uma terapêutica adequada. Com a inauguração do Serviço de Litotripsia e Urodinâmica, o Hospital e Maternidade São Lucas está colocando à disposição de todo o corpo clínico o que existe de mais moderno em diagnóstico e tratamento referente a problemas de bexiga, uretra e cálculos renais.
Atenção: esse Serviço está aberto a todos os médicos que desejarem trazer seus pacientes para os referidos procedimentos.

Perfil

Dr. João José Carneiro - Cirurgião Torácico e Cardiovascular

Aposentando-se como Professor Titular do Departamento de Cirurgia e Anatomia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (U.S.P.), grau máximo da carreira acadêmica, depois de ter orientado mais de 3 mil Graduados, centenas de Residentes e Pós-Graduados e realizado cerca de 5 mil cirurgias torácicas e cardiovasculares, o Dr. João José Carneiro conta com extensa produção científica em conceituadas publicações nacionais e internacionais, realização de palestras, vídeos e participações em simpósios, mesas redondas e colóquios. Em 37 anos de vida profissional recebeu vários prêmios, títulos e honrarias e está preparado para um novo desafio: transformar o São Lucas em Centro de Referência para o Tratamento das Cardiopatias Congênitas, em esforço conjunto com sua direção e todo seu corpo clínico-cirúrgico e para médico. Conheça um pouco da vida pessoal e profissional deste grande mestre.

Há quanto tempo exerce a medicina e o que ela lhe proporcionou neste período?
Exerço a Medicina praticamente desde 1963, quando ainda estudante iniciei meus primeiros contatos com os pacientes. Em 1965 graduei-me pela F.M.R.P.- U.S.P., onde fiz residência, doutorado e livre docência em cirurgia. Fui professor adjunto e, finalmente, Titular na mesma faculdade. Após 35 anos de dedicação integral ao ensino, pesquisa e assistência, estou aposentando com Chefe da Divisão de Cirurgia Torácica e Cardiovascular. Toda esta intensa atividade proporcionou-me o convívio com milhares de estudantes de todos os níveis, aos quais procurei transmitir conhecimentos e condutas éticas baseados na experiência do tratamento de tantos pacientes. Esta é uma experiência fantástica: formar novos elementos e devolver para as famílias e para a sociedade, pacientes gravemente acometidos por doenças que somente a cirurgia é capaz de curar ou melhorar. Dentro destas atividades que exigiram muitas vezes a busca de conhecimentos no exterior ganhei a oportunidade de conhecer lugares e pessoas maravilhosas, cujo tempo de convivência muito me enriqueceu.

Como o senhor avalia o papel do médico atualmente?
Continua sublime o papel do médico, principalmente do cirurgião, que graças a sua intervenção a história natural das patologias pode ser mudada. Entretanto a antiga posição privilegiada e seu reconhecimento no seio da sociedade vão cedendo lugar a um relacionamento litigioso, assentado na industria do erro médico e estimulado pela pletora de advogados, muitos dos quais profissionais indignos. Por outro lado o crescente número de Faculdades de Medicina no Brasil, criadas sob o manto da lei Jarbas Passarinho (toda Universidade tem liberdade de abrir a Faculdade que desejar) tem produzido um número excessivo de médicos, que ainda infelizmente, desejam permanecer nos grandes centros, desequilibrando a proporção ideal Médico/mil habitantes proposta, pela Organização Mundial de Saúde. Com isso a disputa por trabalho torna-se muitas vezes desleal, desvalorizando a profissão e corroborando para a deteriorização da figura do médico na sociedade.

Por que escolheu esta especialidade?
Descendente de árabes, nasci em Ituverava, caçula de uma família humilde de seis irmãos. Desde o primeiro dia de aula no Grupo Escolar Professor Antônio Josino de Andrade assumi o propósito de ser médico, com o qual cresci, ingressei na FMRP-USP em 1960 e graduei-me em 1965. Quando cursava o terceiro ano Médico enveredei-me pela Microbiologia e dela somente consegui sair pelas mãos do Dr. Denizard Rivail Gomes que foi meu Professor de Técnica Cirúrgica e, depois de Gastrocirurgia levando-me de volta a intenção inicial de ser cirurgião. Esta decisão foi muito influenciada pelo Professor Célio Ponttão Carril, Chefe da Disciplina de Proctologia, com quem tive agradável e profícuo convívio no 6º ano medico e no 1º de residência. Foi ai, que assistindo cirurgias torácicas tive o interesse despertado por esta especialidade. Nesta nova fase muito contribuíram para fortalecer minha decisão a atuação dos Professores Rui Ferreira Santos e Albert Amin Sader. Um jovem e promissor Docente da Disciplina de Cirurgia Torácica e Cardiovascular, o Dr. Luiz Carlos Costa Pereira tornou-se para mim modelo de dedicação e profissionalismo em minha formação. No final de minha residência tive a felicidade de conhecer o Dr. Adib Jatene, então Chefe do Setor de Cirurgia do Instituto de Cardiologia do Estado de São Paulo (hoje, Dante Pazzanese) quem praticamente pegou-me pela mão para ensinar-me os primeiros passos da Cirurgia Cardiovascular. Com tanto suporte não poderia ser diferente o resultado.

Que atividade prefere nas horas de lazer?
Na minha infância, aprendi com um tio, fotografia e cinema, técnicas que uso para documentar minhas cirurgias e viagens. Gosto muito de música orquestrada, seja clássica, ou popular e, sempre que possível, freqüento cinema.

Quais as personalidades que admira?
Adib Domingos Jatene, meu maior ídolo, um ser fantástico na trajetória profissional e pessoal, e José Carneiro meu pai que com sua humildade, ensinou-me a ser homem.

Que sonhos ainda pretende realizar?
Criar em Ribeirão Preto, reconhecida nacional e mundialmente cara importante Centro Médico, um Núcleo respeitado para o tratamento das Cardiopatias Congênitas. Segundo dados recentes do Ministério da Saúde são mais de 40 mil crianças aguardando cirurgia cardíaca no Brasil, muitas das quais falecem esperando por ela.

Qual a grande lição que a profissão lhe proporcionou?
Curar pessoas, fazer amizades e ajudar quem necessita de nós é o que ha de mais sublime nesta vida. Ver um paciente ter melhorada sua condições de vida é algo extremamente recompensador, principalmente em se tratando de neonatos que poderão ser acompanhados até sua fase adulta. Muitos filhos destes neonatos acabaram sendo operados também por nós, provando que o esforço conjunto de muitos profissionais, valeu!

Como é o seu relacionamento com o São Lucas?
Com minha aposentadoria depois de 35 anos de trabalho na Universidade de São Paulo, recentemente passei a integrar o Corpo Clínico do São Lucas, onde vim para somar esforços a fim de manter seu alto nível em Cirurgia Cardíaca. E é neste grande conglomerado hospitalar que espero colaborar para o desenvolvimento do Centro de Tratamento das Cardiopatias Congênitas, juntamente com sua direção, colegas e paramédicos de um modo geral, para dar à comunidade um trabalho diferenciado e altamente qualificado dentro da cirurgia cardíaca.

Como o senhor se define?
Diz a tradição que todo João é teimoso e José, paciencioso; logo, sou alguém que tem muita paciência para teimar, persistente e perfeccionista nos meus objetivos.

 

 

 
 
© 2004, Hospital e Maternidade São Lucas          Todos os direitos reservados          Desenvolvimento